Com barril de petróleo abaixo dos US$ 90, 3R Petroleum e Prio despencam – últimas notícias – Empregonews
Site Overlay

Com barril de petróleo abaixo dos US$ 90, 3R Petroleum e Prio despencam

As ações da 3R Petroleum e da Prio registravam queda acentuada na tarde desta quinta-feira (08) depois do forte declínio dos preços do petróleo na véspera, que agora operam abaixo dos US$ 90.

Em contrapartida, a mineradora Vale subia acompanhando o avanço do minério de ferro. A companhia também informou ao mercado estimar que a demanda global de níquel deverá aumentar 44% até 2030.

Confira os destaques registrados por volta das 13h10:

Petrobras e Vale. (Fotos: Adobe Stock e REUTERS/Washington Alves)Petrobras e Vale. (Fotos: Adobe Stock e REUTERS/Washington Alves)

Petroleiras

A sessão era negativa para as companhias que atuam com petróleo, após a matéria-prima despencar 5,7% na véspera em Nova York e atingir o menor nível em oito meses. Por volta das 13h10 desta quinta-feira, o barril do petróleo Brent subia 1,23%, mas abaixo dos US$ 90.

Em comentário enviado ao mercado, André Perfeito, economista-chefe da Necton, destacou que a queda ocorre em meio ao foco na demanda global, que pode se enfraquecer, à medida que China avança sua política de covid Zero e Bancos Centrais apertam política monetária para conter inflação.

Nesta quinta-feira, o Banco Central Europeu (BCE) elevou suas taxas de juros em 75 pontos-base.

Além disso, a PRIO, ex-PetroRio, informou baixa na produção diária em agosto de 12,8%.

Confira o desempenho das ações:

AçãoCotação em R$Variação em %RRRP335,55-5,65PRIO327,3-4,94PETR335,47-1,2PETR431,73-1,15

Vale e siderúrgicas

Acompanhando a alta de mais de 2% do minério de ferro, a Vale operava com ganhos, enquanto as siderúrgicas recuavam. Segundo Perfeito, da Necton, a alta ocorre após grande cidade chinesa de Zhengzhou anunciar que todos os projetos habitacionais parados devem retornar até 6 de outubro, o que impulsiona o segmento da construção civil.

Em uma apresentação para investidores, a mineradora também estimou que, em relação a previsão para 2022, a demanda global de níquel deverá aumentar 44% até 2030, para 6,2 milhões de toneladas. A alta deve ser ocasionada pelos carros elétricos, já que o metal é usado na fabricação das baterias, que compõem os veículos.

Confira o desempenho das ações:

AçãoCotação em R$Variação em %USIM38,06-3,7GGBR319,57-2,49CSNA312,9-2,2CMIN33,48-1,97GGBR423,69-1,7USIM58,04-0,99VALE364,010,53

Veja também